FALAMOS ALEMÃO

Alemão na Alemanha

Cerca de 130 milhões de pessoas falam alemão como língua materna ou segunda língua no mundo inteiro. O alemão é, portanto, uma das línguas mais faladas do globo. Aproximadamente outras 15,4 milhões de pessoas estudam alemão no mundo todo. Ele ocupa, assim, o segundo lugar entre as línguas estrangeiras mais faladas do mundo, depois do inglês. Mas como é o alemão na própria Alemanha?

A língua oficial da Alemanha é, claro, o alemão; isso quer dizer, porém, o alemão nacional padrão, o Hochdeutsch. Há, no entanto, muitos dialetos, geralmente reunidos em 16 grandes grupos dialetais muito diferentes entre si. Seja o alemânico, Alemannisch, falado no sudoeste da Alemanha, o baixo-alemão de Mecklemburgo, o Mecklenburgisch, no nordeste do país, ou outras variantes, como os famosos dialetos de Colônia e de Berlim, o Kölsch e o Berlinerisch: em cada região da Alemanha, inúmeras versões diferentes da língua alemã são faladas no cotidiano, e as diferenças às vezes são tão grandes que nem sempre as pessoas se entendem de imediato. Ou será que você sabia que o “Berlinerˮ, um doce parecido com o sonho, não é chamado de “berlinense” em algumas regiões da Alemanha, mas, sim, de Pfannkuchen (que também significa panqueca!), Kreppel ou Krapfen? E aos dialetos ainda se somam línguas regionais, faladas por um número cada vez menor de pessoas. Segundo o Atlas da UNESCO das línguas ameaças de extinção, atualmente, ao todo 13 línguas regionais alemãs estão sob risco, duas delas, o frísio setentrional, o Nordfriesisch, e o frísio oriental, o Saterfriesisch, correm até mesmo sério risco de desaparecer. Mas não se preocupe. Se você fizer um curso de alemão na Alemanha, você vai aprender o Hochdeutsch – embora seja possível encontrar também cursos específicos dos dialetos. Contudo, a depender do lugar onde fizer o curso, talvez você ouça palavras e expressões no dia a dia que não significam a mesma coisa em outras partes do país. Sem falar na linguagem dos jovens, que também reserva algumas surpresas. Ou você saberia dizer espontaneamente o que quer dizer “verchillenˮ ou “abspacenˮ*? Não é incrível?

Então, você já sabe onde gostaria de aprender alemão?

*verchillen, relaxar; abspacen, “sair da realidade, desligar-se”

Palavra e (des)palavra de 2020

Em 2020, já pela 44ª vez, um júri da Sociedade da Língua Alemã (GfdS) em Wiesbaden escolheu “a palavra do ano”. Ela se chama Corona-Pandemie, a pandemia do coronavírus. Como palavra do ano, segundo a GfdS, Corona-Pandemie não apenas representa a crise mais grave desde a Segunda Guerra Mundial, na avaliação da chanceler alemã Angela Merkel e de muitos especialistas, como também sintetiza linguisticamente inúmeros neologismos (Coronavirus, Coronakrise; Coronazah­len e Coronajahr, os números e o ano da pandemia, Corona-Demo, manifestação contra restrições impostas na pandemia, Corona-Hotspot, foco da pandemia, Warn-App, aplicativo para rastreamento de infecções, coronabedingt, por causa da pandemia, coronageplagt, atingido pela pandemia…). Corona-Pandemie é a palavra que está no topo de uma lista com dez termos, dos quais nada menos que oito estão relacionados ao coronavírus.

Desde 1991, outra campanha, uma iniciativa institucionalmente independente e voluntária formada por quatro linguistas e um jornalista, elege também a “despalavra” do ano. Na 30ª escolha anual da despalavra, em 2020, venceram excepcionalmente duas expressões: Rückführungspatenschaften, “patrocínios para repatriação”, e Corona-Diktatur, ditadura do coronavírus. A palavra Rückführungspatenschaften designa um novo mecanismo da política migratória e foi classificada pelo júri como cínica e amenizante; a palavra Corona-Diktatur foi usada para depreciar medidas adotadas pelo governo no combate à pandemia. Segundo a justificativa para a escolha, a palavra não só banalizaria verdadeiras ditaduras, como também zombaria daqueles que sofrem sob uma ditadura.

Alguma ideia de qual será a (des)palavra de 2021?