NÓS SOMOS A BÉLGICA

Apesar do seu tamanho bastante reduzido (uma área de 30.688 km², comparável a Sergipe), a Bélgica está particularmente bem localizada no noroeste da Europa. O seu território faz fronteira com os Países Baixos ao norte; com a República Federal da Alemanha e o Grão-Ducado de Luxemburgo a leste e com a França ao sul e a oeste; sem esquecer da fronteira marítima com o Mar do Norte.

É um dos membros fundadores da União Europeia (UE), inclusive hospedando a sua sede, bem como as de outras grandes organizações internacionais, como a Organização do Tratado do Atântico Norte (OTAN).

A Bélgica é famosa em todo o mundo pelas suas especialidades como o chocolate, a cerveja, os waffles, as batatas fritas, bem como pelas suas rendas e seus queijos.

Seus portos de Antuérpia, Ghent e Zeebrugge e os portos fluviais de Liège e Bruxelas são grandes portas de entrada dos produtos brasileiros (carne, sucos de frutas, sapatos) para a Europa.

Com seus 3 idiomas nacionais, Neerlandês (60%), Francês (39%) e Alemão (1%), o multilinguismo é uma das características da Bélgica. A capital do país, Bruxelas, é também a capital da Europa o que contribui com o multiculturalismo e multilinguismo do país.

A Bélgica Federal compreende três comunidades: a Comunidade Francesa, a Comunidade Flamenga e a Comunidade Germanófona. A existência dessas comunidades é baseada na noção de "língua".

A comunidade germanófona está localizada no leste da Bélgica, na região da Valônia e, mais precisamente, na província de Liège, nos cantões de Eupen e Saint-Vith.

Seu território é delimitado ao norte pelos “três terminais” da Bélgica, Alemanha e Holanda; a leste pela Alemanha; ao sul pelos três terminais da Bélgica, Alemanha e Grão-Ducado de Luxemburgo; e a oeste pela região belga francófona.

Um pouco de história

Após a derrota do imperador francês Napoleão I, em 1815, a Bélgica passou ao domínio da Holanda, apesar das diferenças culturais, sociais e religiosas marcadas entre as duas regiões. Em 1830, os belgas se rebelaram e, no ano seguinte, proclamaram o Reino da Bélgica independente.

Um pouco de história sobre a parte germanófona do país:

No rescaldo da Primeira Guerra Mundial, o mapa da Europa foi redesenhado após o Tratado de Versalhes e em 1920 os cantões de Eupen e Malmedy, bem como os territórios da Moresnet neutra e da Moresnet prussiana tornavam-se belgas

Você quer saber mais sobre a parte germanófona da Bélgica, visite esse museu virtual: www.zeitschichten.be.


1. A população

A Bélgica é o lar de cerca de 11,49 milhões de pessoas, comparável com o estado do Rio. A população estrangeira oficial na Bélgica é de aproximadamente 1,26 milhão de pessoas; principalmente de outros países da UE (França, România...), mas também do Marrocos, da Turquia e do Brasil.

2. A natureza

A Bélgica é tradicionalmente dividida em Baixa Bélgica, Centro da Bélgica e Alta Bélgica, dependendo da altitude.

A Baixa Bélgica (de 0 a 100 m acima do nível do mar), ao norte, é composta por solos arenosos. A praia belga do Mar do Norte se estende por 67 km. Atinge em alguns lugares mais de 500 metros de largura na maré baixa. É uma praia de areia fina e uniforme, sem seixos ou pedras. Em muitas praias, existem quebra-mares.

A Bélgica Central (de 100 a 200 m de altitude, sendo o ponto mais alto a 212,24 metros2.) Inclui de oeste a leste os planaltos siltosos de Hennuyer, Brabant e Hesbignon.

A Alta Bélgica (mais de 200m acima do nível do mar) distingue-se por um relevo mais acentuado, devido à presença em seu território do maciço das Ardenas. Atinge regularmente altitudes superiores a 500 m, subindo até 694 m no sinal de Botrange, o ponto mais alto do território.

A Bélgica é abundantemente abastecida de rios, os principais são o Yser, o rio Escalda e o Meuse, todos eles nascem na França e deságuam no Mar do Norte. O Yser é o único rio da Bélgica que também tem ali a sua foz. Sem falar nos muitos afluentes e canais.

3. O transporte

O sistema de transporte público belga é muito bem desenvolvido e seu uso incentivado, com uma rede de trens, bondes e ônibus que cobre quase todas as áreas do país. A Bélgica tem a maior densidade de rodovias e de vias férreas no mundo. Tem 360 km de TGV e 3.600 quilômetros de estradas ao todo, exatamente 10 vezes menos que o Brasil.

4. O governo

A Bélgica é uma monarquia constitucional. Desde 2013, Filipe é o Rei dos Belgas e tem junto com o governo o poder executivo federal, ele tem a responsabilidade de nomear um formador que deve propor um governo ao parlamento, ele participa do poder legislativo sancionando as novas leis, e também representa a Bélgica no exterior entre outras responsabilidades.

Na Bélgica existem um governo federal, 3 regiões (Valônia, Flandres e Bruxelas-Capital) e 3 comunidades (Francófona, Flamenga e Germanófona), cada um com as suas competências e prerrogativas. Além disso, existem 6 parlamentos ☑️, um para cada instituição com exceção do parlamento, reunindo a região de Flandres e a comunidade Flamenga. Tudo isso cabe no nosso pequeno país 😁

5. O clima

O clima é ameno no verão (cerca de 15-18°C), por outro lado, no inverno o clima é frio, as temperaturas médias oscilam entre 0 e 4°C.

Com mais de 80% de umidade relativa média, o clima é muito úmido e chove frequentemente com 200 dias de precipitação por ano em média.

Com cerca de 1.500 horas de sol por ano, em média, o sol é muito fraco na Bélgica. A bela temporada vai de abril a setembro (com cerca de 40% da duração do dia quando o sol está brilhando), outubro e março são os meses principais com até mais de 30%, mas os últimos 4 meses (novembro, dezembro, janeiro e fevereiro) dificilmente ultrapassam 25% em média.

O vento é frequentemente presente na Bélgica. As regiões mais calmas são as Ardenas, onde o nevoeiro é extremamente frequente (especialmente no outono-inverno), enquanto a costa é frequentemente ventosa.

6. Pesquisa, tecnologia e inovação

Entre os pontos fortes da pesquisa belga podemos citar a medicina, a bioquímica, a estatística (Quételet) e a astronomia, áreas em que os nossos pesquizadores têm recebido prestigiosas distinções científicas.

A Bélgica também atua na pesquisa espacial, pesquisa no Mar do Norte e pesquisa climática na Antártica. Atualmente, nosso país também está financiando ambiciosos projetos de pesquisa voltados para o desenvolvimento sustentável.

Atualmente, muitos cientistas belgas estão hospedados em prestigiadas universidades no estrangeiro, assim como a própria Bélgica acolhe estudantes e investigadores estrangeiros nas suas várias instituições, atraídos tanto pelo elevado nível científico das universidades quanto pela qualidade de vida que encontramos na Bélgica.

Na Bélgica, a ciência tem sido tradicionalmente associada à educação e ao setor público. Mas, já há algum tempo, as empresas também têm vivenciado uma forte atividade de pesquisa científica. O setor privado concentra-se principalmente em alguns setores (espaço, bioquímica, medicina, farmácia e TI).